início da navegação

RESENHAS

(para fazer uma pesquisa, utilize o sistema de buscas no site) VOLTAR IMPRIMIR FAZER COMENTÁRIO ENVIAR POR E-MAIL

Pedaços do Meu País -

Euclides Cavaco*

Nosso sítio cultural VERDES TRIGOS tem sido bem recebido entre os leitores portugueses. Recebemos inúmeros e-mails de nossos leitores da terrinha, além, é claro, dos escritores que eventualmente nos encaminham seus livros. Já divulgamos João Sevivas, com seu magnífico livro "OS CALOS DA ALMA", uma aprazível leitura, agora temos conhecimento dos Ecos da Poesia, de Euclides Cavaco, poeta português radicado no Canadá.

Seu livro "PEDAÇOS DO MEU PAÍS", pelos poemas publicados em seu ECOS DA POESIA, é uma demonstração da saudade pela terra, pelo fado e pela tradição portuguesa.

Euclides Cavaco, nasceu no conselho de Mira, distrito de Coimbra. Ainda jovem foi para Lisboa, onde estudou. Aos 20 anos partiu para Angola buscando novos horizontes, e lá começou sua carreira de radialista, trabalhando como estagiário na Rádio Clube de Moçâmede. Regressou à Portugal, onde desenvolveu suas atividades artísticas e literárias, tendo sido assídua a sua presença nas casas de fado, não só como apresentador do elenco, mas também para declamar os seus poemas.

Com quase trinta anos, foi para o Canadá, fixando residência em London, e apesar de seu trabalho de empresário, dedicou-se sempre grande parte dos seus momentos de lazer, às Artes, Televisão e Rádio. Atualmente comanda o programa de rádio "Voz da Amizade", através do qual, tem divulgado a Língua e Cultura portuguesas.

Os poemas inseridos neste livro PEDAÇOS DO MEU PAÍS, no dizer de Avelino Teixeira, que o apresenta, "são uma transparência inequívoca, dos nossos valores e uma exaltação a tudo aquilo que em essência representa a Pátria". Neste trabalho poético, o Autor, evoca mil e um aspectos do quotidiano português. Lembra as "camélias " do adro da casa onde nascera, não esquecendo as "Pedras da sua rua", que um dia ele pisara. Menciona os "Castelos e Moinhos de Portugal". Lembra as "Caravelas" que descobriram as Terras de Além Mar.

"Olha o Tejo" e parece ouvir ainda os "Pregões das varinas de Lisboa" e, recorda "Amália" que também por lá andou. Evoca "ESTE POVO QUE NÓS SOMOS", mas depois interroga-se… afinal sem Deus, quem somos nós ?…
"As Ilhas dos Açores", são também tema para poema, assim como as preciosas pérolas, "Madeira e Porto Santo"… Ah! Mas "Coimbra" que ele tanto adora e canta com todo o seu fulgor e convicção, para no final declamar:

Oh Coimbra dos monumentos,
Que viram séculos passar,
Ai se essas pedras velhinhas,
Histórias pudessem contar !…


No dizer de Barbosa Tavares, Euclides Cavaco, "harpejou a saudade da Nossa Terra em versos repassados de nostalgia e candura, que nos embalam em afagos de revivência as memórias suaves, ternas, pungentes e adocicadas do berço que nos moldou para sempre, a sentir português".

Sobre o Autor

Euclides Cavaco: Euclides Cavaco nasceu em Seixo de Mira, distrito de Coimbra. Em 1970, num impulso de aventura, optou pelo Canadá, radicando-se em London Ontário, tornando-se numa figura de destaque bastante conhecida e deveras respeitada nas comunidades Portuguesa e Canadiana. Das iniciativas que levaram o toque de Euclides Cavaco, destaca-se o programa de televisão, Nostalgia Portuguesa, na alvorada da década de 70, de cujo foi realizador e locutor. Euclides Cavaco, continua a escrever poesia deixando transparecer nos seus poemas a terna magia da sua inspiração.

 

< ÚLTIMA RESENHA PUBLICADA | TODAS | PRÓXIMA RESENHA >

LEIA MAIS

Nas Fronteiras do Islã,  por Sérgio Túlio Caldas.
Em setembro de 1996, Sérgio Túlio estava entre os refugiados afegãos da cidade de Peshawar, no Paquistão, quando chegou a notícia de que os desconhecido Taleban tinha ocupado Cabul. Leitura imperdível.  Leia mais
Lolita,  por Vladimir Nabokov.
Lolita é o livro de estréia da coleção Biblioteca da Folha. De quebra, este primeiro volume é gratuito, que será distribuído o Jornal FSP do próximo domingo, dia 08.  Leia mais

Faça uma pesquisa no sítio

Utilizando-se uma palavra no formulário, pesquisa-se conteúdo no Sítio VerdesTrigos.

Ir ao início da página