início da navegação

RESENHAS

(para fazer uma pesquisa, utilize o sistema de buscas no site) VOLTAR IMPRIMIR FAZER COMENTÁRIO ENVIAR POR E-MAIL

Ricardo Dicke, uma aposta de Guimarães Rosa

Henrique Chagas*

Acabo de ler “O SALÁRIO DOS POETAS”, um romance do mato-grossense Ricardo Guilherme Dicke, que me foi encaminhado por Lorenzo Falcão. Li com avidez e reli atentamente cada palavra dessa obra que justifica a admiração que Guimarães Rosa teve por ele. Verdadeiramente, trata-se de um outro Guimarães Rosa. Também tem uma narrativa em espiral como “Grande Sertão: Veredas”.
 
Meu contato com essa maravilha da literatura brasileira deu-se a partir de reportagem de Marcelo Rubens Paiva publicada na Folha no ano passado, onde foi noticiado que “O SALÁRIO DOS POETAS” estava sendo distribuído gratuitamente.

No mesmo dia liguei para Lorenzo, jornalista de Cuiabá, que não somente confirmou que a distribuição era gratuita, mas a encaminhou para o meu endereço. Foi muito mais que um presente, um jóia rara que guardarei para sempre. Com certeza, a obra de Dicke precisa ser reeditada o mais urgente para que todos possam a ela ter acesso.  

Dicke foi considerado a grande revelação da literatura brasileira, e sempre foi apresentado com a grande descoberta do escritor de Cordisburgo. Começou com o romance “Deus de Caim”, obra que venceu o prêmio Walmap de 1968, que teve no júri Jorge Amado, Antonio Olinto e Guimarães Rosa. (Henrique Chagas, da Verdes Trigos).

Sobre o Autor

Henrique Chagas: Henrique Chagas, 49, nasceu em Cruzália/SP, reside em Presidente Prudente, onde exerce a advocacia e participa de inúmeros eventos literários, especialmente no sentido de divulgar a nossa cultura brasileira. Ingressou na Caixa Econômica Federal em 1984. Estudou Filosofia, Psicologia e Direito, com pós-graduação em Direito Civil e Processo Civil e com MBA em Direito Empresarial pela FGV. Como advogado é procurador concursado da CAIXA desde 1992, onde exerce a função de Coordenador Jurídico Regional em Presidente Prudente (desde 1996). Habilitado pela Universidade Corporativa Caixa como Palestrante desde 2007 e ministra palestras na área temática Responsabilidade Sócio Empresarial, entre outras.

É professor de Filosofia no Seminário Diocesano de Presidente Prudente/SP, onde leciona o módulo de Formação da Consciência Crítica; e foi professor universitário de Direito Internacional Público e Privado de 1998 a 2002 na Faculdade de Direito da UNOESTE, Presidente Prudente/SP. No setor educacional, foi professor e diretor de escola de ensino de 1º e 2º graus de 1980 a 1984.

Além das suas atividades profissionais ligadas ao direito, Henrique Chagas é escritor e pratica jornalismo cultural no portal cultural VerdesTrigos (www.verdestrigos.org), do qual é o criador intelectual e mantenedor desde 1998. É jurado de vários prêmios nacionais e internacionais de literatura, entre eles o Prêmio Portugal Telecom de Literatura.

No BLOG Verdes Trigos, Henrique anota as principais novidades editoriais, literárias e culturais, praticando verdadeiro jornalismo cultural. Totalmente atualizado: 7 dias por semana.

 

< ÚLTIMA RESENHA PUBLICADA | TODAS | PRÓXIMA RESENHA >

LEIA MAIS

O túnel é noite para sempre,  por Jorge Pieiro.
Em Os lados do círculo, os personagens tentam sanear o rastro do mundo, pois, Amilcar Bettega Barbosa conta histórias que já foram contadas  Leia mais
Ossos do Ofício,  por Paulo da Mata-Machado Júnior.
O leitor terá em Ossos do Ofício uma poesia do melhor nível estético, além de uma rara oportunidade de conhecer um autor à altura das grandes vozes da nossa literatura, algo raro numa época de tanta invencionice, pseudo-vanguardas e falso esperimentalismo.  Leia mais

Faça uma pesquisa no sítio

Utilizando-se uma palavra no formulário, pesquisa-se conteúdo no Sítio VerdesTrigos.

Ir ao início da página