início da navegação

RESENHAS

(para fazer uma pesquisa, utilize o sistema de buscas no site) VOLTAR IMPRIMIR FAZER COMENTÁRIO ENVIAR POR E-MAIL

Nas Fronteiras do Islã

Sérgio Túlio Caldas*

Esteve aqui em Presidente Prudente/SP, o jornalista SÉRGIO TÚLIO CALDAS divulgando o seu livro "NAS FRONTEIRAS DO ISLÃ". Um livro totalmente surpreendente! É o relato de uma viagem reveladora por desertos, montanhas e entre povos muçulmanos. Li todo o livro em duas ou três pegadas, exatamente por descrever algo novo, desconhecido e surpreendente, por descrever a vida em cidades que dificilmente ouvimos falar.

O jornalista Sérgio Túlio Caldas foi ao Paquistão, ao Uzbequistão, ao Quirguistão e à China muçulmana, e surpreendeu-se com esses países onde as tradições convivem com a modernidade, a religião com saudáveis costumes profanos ocidentais e a democracia com os preceitos do Alcorão.

Mulheres bem vestidas, dançando em bares, nas ruas e usando maquiagem. Meninos e meninas freqüentando as mesmas escolas. Povos muito cultos e poliglotas que lutam para preservar a democracia e manter suas tradições milenares. Imagens que poucos associariam a países muçulmanos, mas que o jornalista Sérgio Túlio Caldas descobriu em suas viagens pela Ásia Central, região que ganhou enorme destaque após os atentados de 11 de setembro de 2001, quando passou a ser vista apenas como um celeiro de guerreiros fanáticos, terroristas suicidas e mulheres violentamente oprimidas. NAS FRONTEIRAS DO ISLÃ vai mudar a imagem que todos temos desse conturbado território do globo. O livro é um panorama do multicultural, rico e misterioso mundo islâmico da região asiática central.

Sérgio Túlio tem viajado sobre a corda bamba que separa o Ocidente do Oriente. Em suas andanças, foi expectador privilegiado de um fato que mudaria os rumos da história no século XXI. Em setembro de 1996, ele estava entre refugiados afegãos na cidade de Peshawar, no Paquistão, quando soube da notícia de que o então desconhecido Taleban tomara Cabul. À época, o autor percorria uma longa jornada, cruzando por terra toda a imensidão da China, até Islamabad, a capital paquistanesa. Pela estrada, fez descobertas fantásticas e conviveu com minorias étnicas que habitam o selvagem oeste chinês e as gigantescas montanhas do Himalaia e do Karakoram, no Paquistão.

Em 2000, Sérgio Túlio voltaria a explorar outro território pouco conhecido do Islã: as ex-repúblicas soviéticas, proibidas a estrangeiros até 1991. Ali encontrou um mundo muito distante das burcas e dos guerrilheiros talebans, que impressiona por sua riqueza cultural, seu povo alegre e pela presença ativa de mulheres muçulmanas na sociedade.

Em NAS FRONTEIRAS DO ISLÃ, somos apresentados a um mundo novo, onde é possível a convivência da religião muçulmana com os costumes ocidentais, sem abrir mão de suas tradições.

Sobre o Autor

Sérgio Túlio Caldas: jornalista e escritor; trabalhou para os principais jornais e revistas do país, entre eles o O Estado de São Paulo e Veja. Algumas de suas aventuras relatadas neste livro resultaram em reportagens para o programa Fantástico. Suas jornadas por várias partes do mundo levaram-no para a revista Terra, onde foi editor. Reconhecido pelo Prêmio de Reportagem sobre Biodiversidade, em 2001, da Conservation International, é autor do livro Peixe-Boi, a história da conservação de um mamífero brasileiro. Produz documentários com a DGT Filmes, de São Paulo.

 

< ÚLTIMA RESENHA PUBLICADA | TODAS | PRÓXIMA RESENHA >

LEIA MAIS

A força do homem comum no escritor Carlos Herculano,  por Chico Lopes.
Move-se em outra direção, nas crônicas de "Entre BH e Texas" (editora Record, 2004) - a do homem urbano de Belo Horizonte (mas nem é preciso lembrar o que vai de roça no elevador, parafraseando Drummond), que se encanta com os pardais no dia da vitória do Penta, que radiografa o que vai pelas ruas, sem perder aquela lucidez lírica e meio desencantada que é a marca do gênero. Mas eu o prefiro com menos amenidade.  Leia mais
Ossos do Ofício,  por Paulo da Mata-Machado Júnior.
O leitor terá em Ossos do Ofício uma poesia do melhor nível estético, além de uma rara oportunidade de conhecer um autor à altura das grandes vozes da nossa literatura, algo raro numa época de tanta invencionice, pseudo-vanguardas e falso esperimentalismo.  Leia mais

Faça uma pesquisa no sítio

Utilizando-se uma palavra no formulário, pesquisa-se conteúdo no Sítio VerdesTrigos.

Ir ao início da página