Crônicas,contos e outros textos

PÁGINA PRINCIPAL LISTA DE TEXTOS Noga Lubicz Sklar


COMPARTILHAR FAVORITOS ver profile do autor fazer comentário Recomende para um amigo Assinar RSS salvar item em delicious relacionar no technorati participe de nossa comunidade no orkut galeria relacionar link VerdesTrigos no YouTube fazer uma busca no VerdesTrigos Imprimir

São Miguel das Missões Verdes Trigos em São Miguel das Missões/RS - Uma viagem cultural

VerdesTrigos está hospedado no Rede2

Leia mais

 




 

Link para VerdesTrigos

Se acha este sítio útil, linka-o no seu blog ou site.

Anuncie no VerdesTrigos

Anuncie seu livro, sua editora, sua arte ou seu blog no VerdesTrigos. Saiba como aqui

Jung é culpado sim

por Noga Lubicz Sklar *
publicado em 09/08/2007.

"Mas fundo na mente, eu sei. Sou eu que te amo mais, e Freud tem tudo a ver com isso. Com o sexo, digo, com o pacote que mandei, meu amor, com carne e tudo. E olhos e pêlos pubianos, calcinhas usadas, it will be soon."
Hierosgamos (1x), de Noga Lubicz Sklar




Taí. Não tenho o menor saco pra livro policial, mas com uma resenha animadora dessas, dá até vontade de arriscar este"A interpretação do assassinato", eu nem sabia que o Xexéo lia, pensei que só via televisão. O que prova o pouco que se sabe da vida dos colunistas que a gente tanto admira (ops*), e que o apoio logístico à venda de um romance pode vir de qualquer lugar: fale de mim o quê e quem quiser falar, mas por favor, falem. Vejam. Comprem.

Aí, Xexéo: vou te mandar um exemplar do Hierosgamos (2x) pra ver se cola, embora não combine com teu estilo publicado. Bom. Basta de introdução. Joaquim Ferreira dos Santos, meu mestre de Paraty — este sim, adora o assunto do Hierosgamos (3x) —, já neste ponto do post teria, no mínimo, três coisas pra criticar:
1- o blablablá introdutório: longo demais; introdutório? ai meu Deus.
2- parêntesis e travessões: só criam confusão, atravancando o texto; tenta ler em voz alta pra sentir o drama.
3- a palavra "logística": hum, não sei não, complexa demais; em texto técnico pode até ser, mas em crônica não soa nada bem.

E agora chega de fugir do assunto, que isso aqui não é nenhum divã. Não, gente. Não gosto nem um pouco de romance ou filme policial, mas de Freud x Jung, sim: é meu tema favorito. Minha erudição, claro, mal se compara à do Xexéo — nem à do Jed Rubenfeld —, e eu nunca poderia chegar nem perto dos incríveis diálogos que o Jed criou para a dupla dinâmica da mente, embora o Prosa tenha elogiado os meus. Mesmo sem ter lido o livro de Rubenfeld — o Xexéo, afinal de contas, nem terminou a leitura... e já está resenhando: tempo real perde — eu concordo que sim, a culpa é toda de Jung. Mas só porque Freud, antes dele, já tinha inventado a maldita. E pra compensar criou o gozo, enfiando o sexo na boca de todo mundo ou, fala sério, não haveria Hierosgamos (4x) nenhum. Além de tudo, descobriu a (in)consciência, é: nos tornou responsáveis por todos os nossos atos, porque antes do velho Sig, todo mundo sabe: o culpado de tudo era Deus. Ou quem sabe o Diabo.

Não sei se Freud interpretou o assassinato. Interpretou os sonhos, disso eu sei, mas foi Jung que acreditou neles, e foi aí que a coisa pegou. Explicando cientificamente o nosso lado espiritual, Jung pegou de jeito o desalentado sujeito pós-Freud — um réu condenado desde criancinha — e deu a ele, no inconsciente coletivo, os plenos poderes de Deus. Eu, pelo menos, encaro a coisa assim.

Na mente de Noga, protagonista do Hierosgamos (5x), os dois brigam o tempo inteiro. Ela acredita nos sonhos, no carma, na sincronicidade. Mas é no sexo que encontra a felicidade. Noga senta o leitor na poltrona do analista e promete contar tudinho: realiza o sonho de publicar o livro, mas na hora de vender... erra no blog o link da livraria, pode? Ato falho puro, dá pra imaginar? E a frustração dos incontáveis fãs... por um mês inteirinho? Essa, nem Lacan explicaria, e é mamãe quem tem toda razão: a vida não é fácil mesmo.

Jung, com seu talento e imaginação, foi declarado sim, culpado do nosso pior crime: confiar plenamente na emoção. Também é este o crime do Hierosgamos (6x), Xexéo, cá entre nós: um romance que tem corpo, alma e espírito, e pra apimentar, uma leve pitada de mal-estar da civilização — coisa típica de judeu.

Quanto à promessa de não falar mais no Hierosgamos (7x) aqui no blog, bem, vocês sabem: não é fácil se livrar de uma obsessão, e a minha é esta. Freud explica. Mas só Jung justifica.


* se eu não puxar saco de colunista agora, vou puxar quando? aliás, me desculpem o excesso de links no post, mas vocês sabem: quem tem conexões tem tudo.

Sobre o Autor

Noga Lubicz Sklar: Noga Lubicz Sklar é escritora. Graduou-se como arquiteta e foi designer de jóias, móveis e objetos; desde 2004 se dedica exclusivamente à literatura. Hierosgamos - Diário de uma Sedução, lançado na FLIP 2007 pela Giz Editorial, é seu segundo livro publicado e seu primeiro romance. Tem vários artigos publicados nas áreas de culinária e comportamento. Atualmente Noga se dedica à crônica do cotidiano escrevendo diariamente em seu blog.

Para falar com Noga senda-lhe um e-mail ou add-lha no orkut.

< ÚLTIMA PUBLICAÇÃO | TODAS | PRÓXIMA>

LEIA MAIS


Vita Brevis - a vida é curta, por Henrique Chagas.

ALÔ! QUEM FALA?, por Airo Zamoner.

Últimos post´s no Blog Verdes Trigos


Busca no VerdesTrigos