início da navegação

RESENHAS

(para fazer uma pesquisa, utilize o sistema de buscas no site) VOLTAR IMPRIMIR FAZER COMENTÁRIO ENVIAR POR E-MAIL

Um contista sem afetações

Ronaldo Cagiano*

Consolidando uma produção ficcional que cresce a cada livro, o escritor sergipano Jeová Santana apresenta em seu terceiro livro, Inventário de ranhuras, 35 narrativas, enfeixadas em quatro divisões: "Porões", "Lâminas", "Guardados" e "Alcovas".

Autor de Dentro da casca (1993) e A ossatura (2002), Santana vem aprofundado em seu trabalho o trato de questões culturais e existenciais. Com uma prosa que alterna textos breves e médios, cujos personagens vivem atmosferas cruciais e, muitas vezes, situações limite, apresenta-nos um universo de estranhamentos, refletindo com sutileza e poesia sobre a sobrevivência individual e os dramas coletivos, numa espécie de resgate não panfletário da realidade social e humana.

Com uma prosa burilada e sem afetações, que não se condiciona às invencionices de linguagem ou se rende ao contorcionismo verbal, muito comuns na literatura contemporânea, o autor constrói suas narrativas com uma fluência e um ritmo particulares, capazes de conferir cristalinidade à mais densa das histórias. É o que podemos perceber em "Relatos frios", quando as tragédias e a violência quotidianas são visitadas em textos contidos mas pungentes, com uma carga imagética e metafórica que nos instigam a uma profunda reflexão.

Vale destacar na confecção literária de Jeová Santana o diálogo com a tradição e a vanguarda. Tanto na utilização das epígrafes, quanto na alusão a autores, obras e outras linguagens artísticas, Santana empreende um trânsito com diversas tendências estéticas, sem falso intelectualismo ou vezo academicista. A literatura contribui para estender uma ponte dialética entre o autor e o mundo revisitado, num olhar fragmentário mas cirúrgico de situações e confrontos, denunciando as fragilidades da nossa própria condição.

Desde os contos de feição surrealista ("Macacos") ou fantástica ("Duas ocorrências"), passando pelos textos de influxo social ("De homens e meninos"), os de projeção lírica ("Elas e eu" e "O homem ideal") e de humor refinado e intelectual ("Aracaju by night"), Jeová Santana revela-se um autor versátil e criativo, capaz de refletir com delicadeza sobre as estranhezas do mundo e as ambigüidades da natureza humana, sintonizado que está não só com as emergências do seu tempo, mas com as demandas e o sentido da própria arte.

Sobre o Autor

Ronaldo Cagiano: De Cataguases, cidade mineira berço de tradições culturais e importantes movimentos estéticos, surgiu Ronaldo Cagiano. É funcionário da CAIXA. Colabora em diversos jornais do Brasil e exterior, publicando artigos, ensaios, crítica literária, poesia e contos, tendo sido premiado em alguns certames literários. Participa de diversas antologias nacionais e estrangeiras. Publica resenhas no Jornal da Tarde (SP), Hoje em Dia (BH), Jornal de Brasília e Correio Braziliense, dentre outros. Tem poemas publicados na revista CULT e em outros suplementos. Obteve 1º lugar no concurso "Bolsa Brasília de Produção Literária 2001" com o livro de contos "Dezembro indigesto”.

Organizou também várias antologias, entre elas: Poetas Mineiros em Brasília e Antologia do Conto Brasiliense.

 

< ÚLTIMA RESENHA PUBLICADA | TODAS | PRÓXIMA RESENHA >

LEIA MAIS

Em busca da teologia da libertação sexual,  por Editora Vozes Ltda.
Fundamentado em pesquisas e no confronto com especialistas de várias ciências, livro mantém a tese de que integrar a própria sexualidade é questão vital  Leia mais
Antologia de Brasília: bonita e aberta,  por Chico Lopes.
Cagiano: difundindo uma Brasília de fronteiras fluidas.  Leia mais

Faça uma pesquisa no sítio

Utilizando-se uma palavra no formulário, pesquisa-se conteúdo no Sítio VerdesTrigos.

Ir ao início da página