início da navegação

RESENHAS

(para fazer uma pesquisa, utilize o sistema de buscas no site) VOLTAR IMPRIMIR FAZER COMENTÁRIO ENVIAR POR E-MAIL

O Almirante Negro

Andrey do Amaral*

Quando dizem que “a leitura prazerosa de ontem, cujo enfoque era o divertimento, hoje tornou-se uma trágica obrigação dos cursos escolares e algo chato de se fazer” podem até estar certos, mas ainda não conhecem um autor como Moacir C. Lopes. Dono de uma obra invejável, alguns de seus romances já foram traduzidos para vários idiomas, além de ser assunto de teses de doutoramento nos Estados Unidos da América.

Para nossa sorte, toda sua obra está sendo reeditada pela Editora Quartet do Rio de Janeiro. Seu romance mais conhecido é A ostra e o vento, adaptado para o cinema em 1997 por Walter Lima Jr. Outro livro que merece destaque é O Almirante Negro, não só pela bela narrativa mas também pela transcrição de um triste incidente da

História do Brasil: a Revolta da Chibata. Nele, Moacir traça um painel do início do século XIX, relatando com maestria, além da Revolta da Chibata, a Revolta da Vacina, a Guerra de Canudos, os surgimentos de favelas, a inauguração da Av. Central no Rio de Janeiro, a imprensa carioca, os grandes nomes da literatura brasileira daquela época, entre tantos outros acontecimentos que marcaram as duas primeiras décadas do nosso século XIX.

Quem desconhece a Revolta da Chibata irá encontrar em O Almirante Negro os motivos de um movimento que eclodiu na Marinha Brasileira. Na verdade um protesto dos marinheiros aos castigos corporais. Iremos nos encantar com a figura de João Cândido, líder da Revolta e chefe do encouraçado Minas Gerais. João Bosco e Aldir Blanc registraram em música esse fato na belíssima canção O mestre-sala dos mares: “Há muito tempo nas águas da Guanabara/O dragão do mar reapareceu/Na figura de um bravo feiticeiro/A quem a história não esqueceu”.

O livro O Almirante Negro é um excelente curso de história em forma de romance, no qual iremos aprender a fundo o que foi a revolta, quando aconteceu, como contornaram a crise, quais as conseqüências do conflito, quantos mortos etc e etc. Deparamo-nos ainda nessa história com as figuras de Rui Barbosa, Pinheiro Machado e o Marechal Hermes da Fonseca.

Sem dúvida, Moacir C. Lopes é um exímio narrador dos mares e da terra, e através de seus livros é que nós e alguns países do exterior conhecemos um pouco mais a real História brasileira. Não perca e recomende aos seus amigos!

Sobre o Autor

Andrey do Amaral: É pesquisador e professor de literatura brasileira, com pós-graduação em língua portuguesa e sexologia. Tem, além de outros livros, o sucesso "Como enlouquecer sua sogra". "Cuidado: Eu te Amo!" É o seu primeiro livro pela Editora Ao Livro Técnico.

 

< ÚLTIMA RESENHA PUBLICADA | TODAS | PRÓXIMA RESENHA >

LEIA MAIS

TAL VEZ TALVEZ,  por Dílson Lages Monteiro.
Os poemas de “O Sabor dos Sentidos” estão carregadas destas marcas de intencionalidades, cuja fonte reside nas imagens sinestésicas que o poeta emprega com muita originalidade e que apontam para um dos principais artifícios da poesia, a metáfora. A poesia de Dilson Lages, melhor os poemas, estão prenhes destes recursos.
 Leia mais
Outono sobre Paraty,  por Zelmo Denari.
Zelmo deixou o jurista de lado e de forma fluente relata o drama daqueles que viveram os sonhos de um pais livre da opressão e arbítrio dos militares.
 Leia mais

Faça uma pesquisa no sítio

Utilizando-se uma palavra no formulário, pesquisa-se conteúdo no Sítio VerdesTrigos.

Ir ao início da página