início da navegação

RESENHAS

(para fazer uma pesquisa, utilize o sistema de buscas no site) VOLTAR IMPRIMIR FAZER COMENTÁRIO ENVIAR POR E-MAIL

Scliar explora dois percursos narrativos em sua nova obra

.::. Verdes Trigos Cultural .::.*

Um diamante é, digamos, a "pedra de toque" desta nova ficção do escritor gaúcho Moacyr Scliar, colunista da Folha, a qual apresenta dois percursos narrativos claros.

O primeiro, que segue até a metade do romance, descreve o périplo do mineral, tirado das entranhas de Minas Gerais, passando pelos Países Baixos até chegar ao Leste Europeu. O segundo, centrado na figura do judeu Guedali, conta como o diamante foi parar em seu ventre e, a partir daí, como o incidente marca a vida do personagem, que emigra com a família da Rússia ao Brasil.

Vemos então um deslocamento em duas direções: do Novo ao Velho Mundo e do Velho ao Novo, fechando o círculo. No que se refere ao diamante, o percurso salta de uma marcha épica para um relato de conotação mais íntima, existencial. Na primeira parte, o diamante passa de mão em mão, e a narrativa, igualmente, desloca-se de personagem a personagem, como num mapa em que os pontos geográficos vão sendo aos poucos iluminados de acordo com o foco do interesse.

As luzes podem estar sobre o cristão-novo Gaspar Mendes que, no século 17, leva para a Europa um punhado de diamantes brutos da fictícia vila de Arraial da Cabra Branca. Ou sobre o maligno Pedro do Carmo, caçador de judeus a mando da Inquisição. Ou em Diogo Moreino, que rouba o diamante já lapidado da casa do filósofo Spinoza.

Não se trata da única figura histórica retratada ou mencionada (dentre outras, temos o padre Vieira e o revolucionário Trótski), mas sem dúvida é a principal. Como se sabe, o filósofo exercia o ofício de polidor de lentes, o que suscita o seguinte comentário, acerca de suas idéias: "Dentro de cada complexa, obscura proposição, parece haver outra, ainda mais complexa e obscura. Algo semelhante aos segmentos da luneta que se encaixam uns nos outros".

Podia ser uma alusão à técnica narrativa de Scliar, neste livro. O autor também não só encaixa um fragmento no outro, como também, por meio desse percurso intrincado, chega mais próximo (como a luneta o faz) do seu assunto.

E o assunto é o modo como seu herói guarda dentro de si essa pesada herança, que ele preferia não ter "engolido", mas, uma vez na pança, recusa que de lá lhe seja extraída. A herança inclui a filosofia de Spinoza e as idéias revolucionárias de Trótski, assim como as acusações sobre a crucificação, as perseguições do Santo Ofício e dos pogroms na Rússia.

Como em outro romance de Scliar, "O Centauro no Jardim", a herança lhe é presa ao corpo como se por um acidente genético: naquele, o herói nasce meio cavalo meio homem; neste, com uma espécie de bolso intestino, em que se aloja o diamante. Ambos foram escolhidos. Mas nenhum dos dois queria ter sido.

São considerações como essas, provocadas por "Na Noite do Ventre, o Diamante", que confirmam a importância da obra, densa de idéias, imagens e indagações. Se aqui e ali se pode discordar de escolhas técnicas do autor ou se a primeira parte possa parecer narrativamente mais rica que a segunda, não há nada que desabone a força do romance como um todo.
(MARCELO PEN)

Resenha publicada na Folha de São Paulo

Sobre o Autor

.::. Verdes Trigos Cultural .::.: .

Da Redação de VERDESTRIGOS.ORG
VerdesTrigos.ORG lhe oferece conteúdo interativo, inteligente, culto e de indiscutível bom gosto. Um sítio cultural do escritor Henrique Chagas. Simplesmente fazendo diferença. Depende de nós

 

< ÚLTIMA RESENHA PUBLICADA | TODAS | PRÓXIMA RESENHA >

LEIA MAIS

O Artista da Morte,  por Daniel Silva.
O pano de fundo de O artista da morte é o conflito entre israelenses e palestinos, sobre o qual se desenrolam as tramas que envolvem os serviços secretos de diferentes países, incluindo, sem dúvida, os Estados Unidos.  Leia mais
Arquitetura dos Dias,  por Joanyr de Oliveira.
Joanyr de Oliveira, poeta e prosador conceituado, traz para os seus contos algumas experiências adquiridas ao longo dos anos... além de uma rica intimidade com as palavras, adquirida em seu ofício de poeta.  Leia mais

Faça uma pesquisa no sítio

Utilizando-se uma palavra no formulário, pesquisa-se conteúdo no Sítio VerdesTrigos.

Ir ao início da página