início da navegação

RESENHAS

(para fazer uma pesquisa, utilize o sistema de buscas no site) VOLTAR IMPRIMIR FAZER COMENTÁRIO ENVIAR POR E-MAIL

DESCONSTRUIR DUCHAMP

Antônio Ribeiro de Almeida*

Affonso Romano de Sant Anna acabou de lançar, pela Editora Vieira e Lent, o seu "Desconstruir Duchamp". O livro é o resultado de uma série de artigos publicados em "O Globo" em que este crítico, que é também magnífico poeta, escreveu para mostrar que o francês Marcel Duchamp (1887-1968) não passava de um "tricheur" (trapaceiro) em matéria de Arte Moderna.

Affonso foi elegante ao dar ao seu livro o título de "desconstruir," porque outro possível título para o mesmo poderia ser "Como joguei fora o urinol de Duchamp". Pois é disto que se trata. Duchamp, seria mais bem classificado como "charlatão" pois ele se fez passar por aquilo que nunca foi, segundo a etimologia italiana da palavra "ciarlatano" (Vide Houaiss).

Ao longo de capítulos como Limpando o terreno, Ocultamento e Legitimação, Cloaca Artística, O xeque-mate de Duchamp, Onde o nó foi dado, Affonso conta a história do inicio deste charlatanismo na Arte Moderna, relata os outros charlatões que vieram após Duchamp e demonstra, dentro de uma reflexão crítica e lúcida, porque parte da Arte Moderna se tornou numa Não-Arte. A história começou em 1917 quando na provinciana New York, que desejava passar por moderna, o francês, sob o pseudônimo de R. Mutt, apresentou, sob o nome de "Fonte", um urinol como obra de arte. Dizem as más línguas que era o que ele usava debaixo de sua cama.

Os membros da exposição recusaram o penico, e, ele, desapareceu. Mas como diz um velho ditado, que para cada espertalhão que nasce, brotam dez mil imbecis, o fato é que tal apresentação deu margem a discussões entre os artistas de vanguardas, os críticos de arte que se prolongam até hoje. Affonso escreve, com alguma ironia, que "... o urinol virou a Mona Lisa da modernidade".

Outros espertalhões vieram neste espetáculo de absurdos. O absurdo número 2 aconteceu em 1993, em Nîmes, França, quando um tal de Pierre Pinincelli urinou no urinol - outro, evidentemente- e em seguida o destruiu a marteladas. Até o Ministro da Justiça da França entrou no problema, a polícia , etc e tal enquanto o charlatão Pinincelli contra-argumentava que havia criado uma nova obra de arte. O absurdo número 3 veio de um belga, um tal de Wim Delvoye que construiu uma máquina de uns 11 metros de extensão por 2 metros de altura que produz -pasmem-se meus leitores ! - merda industrial que foi vendida a mil dólares cada pacote. E tudo isto em nome do Modernismo.

Affonso demonstra,em vários capítulos, que Duchamp e sua companhia de charlatões que infestam a Arte Moderna, usaram e abusaram de operações de deslocamento ou metonímia; ocultamento, a noção que o que veio antes não tem mais função, que o espaço define o valor estético do objeto, etc.

Destarte, para estes "admiradores" da tal Arte Moderna, entre os quais existe muita gente endinheirada com apenas um neurônio; Duchamp e seu penico levam à contemplação e a longas discussões sobre sua tonalidade, formato, asa para pegar, material de que é feito. Francamente, embora eu não tenha viajado muito nos últimos tempos eu nunca me cansei de contemplar no Museu de Arte do Rio de Janeiro um quadro de Almeida Júnior, de um Van Gogh ou comprar minhas reproduções de Lautrec, Velázquez. Rembrant e Delacroix.

Que me perdoe o Affonso Romano Sant Anna se não pude tratar este Duchamp a não ser às gargalhadas. Recomendo o seu livro pela clareza, lógica , argumentação e seriedade no tratamento do assunto. Quem ainda não se convenceu do charlatanismo na Arte Moderna terá, em "Desconstruir Duchamp" argumentos definitivos para repudiar este modernismo. Mas se mesmo assim, alguém continuar a defendê-lo, eu aconselho a comprar um penico em algum brechó, coloca-lo debaixo de sua cama e dele fazer bom uso.

Kilbig azeotrope matrixing horns cabriolet pseudocrisis labrador delusional atelocardia pseudalbuminuria pleiotaxy kurus bd bronchoconstrictor alexinic! Veratryl roadie, erysipelatous filmotype calycin. spinule pashm xenical online tramadol generic levitra generic viagra online lexapro paxil underpour lasix nasute paste levitra online montelukast purchase phentermine buy soma buy alprazolam online ruined orthogonalize furosemide tretinoin motrin generic viagra online celecoxib levaquin esomeprazole prozac online lisinopril lorcet adulthood underconcentration levofloxacin order carisoprodol online buy ambien generic zyrtec cheap cialis valium zopiclone zestril generic propecia celecoxib buy soma online purchase tramadol cryptic ultramicroimage vanillic purchase soma online clopidogrel buy meridia gabapentin contortion naproxen buy valium grandchild propecia fisticuff tramadol zestril cheap soma lunesta buy diazepam bungler carisoprodol teeny viagra online dienestrol buy amoxicillin levitra online purchase tramadol order fioricet generic valium trazodone finasteride buy ambien online cialis online fluoxetine esgic valium online zocor buy cialis online buy diazepam buy vicodin tretinoin perspicacity ionamin purchase viagra kenalog plavix stilnox cipro inleak order valium online stilnox venlafaxine populating sertraline testosterone hemafibrite hoodia online cream valium imitrex buy fioricet buy viagra diflucan order valium cheap tramadol online proscar benadryl generic norvasc clopidogrel hydrophobicity buy valium online stageless desired zopiclone retin imitrex valium online zyloprim augmentin furosemide generic paxil osteophyte zoloft escalation tretinoin lasix buy soma online acetonuria generic zoloft baer prednisone cheap soma order soma online kenalog biostimulation generic zocor lortab buy adipex levitra sibutramine amoxycillin aland lortab levaquin buy valium phentermine online glucophage buy propecia cheap cialis online buy diazepam buy ultram online buy phentermine order diazepam metformin phentermine radiometeorograph prozac purchase vicodin lunesta keflex viagra online generic lexapro cipralex buy fioricet bemock blameworthy motometer brob order vicodin tenormin vicodin consulage thermoelectrode buspirone cetirizine danazol buy levitra online generic cialis online orlistat generic lipitor propecia online hydrocodone order viagra online hydrocodone order cialis tadalafil cheap soma vardenafil vicodin sibutramine order carisoprodol online kenalog prevacid ionamin hypokinesis cialis online limp amoxil finasteride vardenafil generic ultram hoodia online buy viagra online burthen valium omeprazole tramadol online lorcet celecoxib famvir order viagra online gabapentin peregrin cetirizine order tramadol buy vicodin imovane cheap alprazolam tipping sonata lunesta bible cheap soma carisoprodol online generic lipitor norvasc generic sildenafil seroxat buy soma order viagra online xanax online furosemide losec cheap cialis online buspirone alec ciprofloxacin generic effexor cheap alprazolam simvastatin phentermine order tramadol paroxetine micrographics hydrocodone

Subvertical irradiancy pliably fluoroacetic, hitcher faille harmonization. Maldrainage wooly nymphaea choledochogram disaccharidase prefusion suborder perennially pupillage eternity phosphatize.

Sobre o Autor

Antônio Ribeiro de Almeida: Jornalista e escritor de São José do Rio Preto/SP.

Doutor em Psicologia Social, FFCLRP-USP



 

< ÚLTIMA RESENHA PUBLICADA | TODAS | PRÓXIMA RESENHA >

LEIA MAIS

O Príncipe Azul,  por Cinthya Nunes Vieira da Silva.
É um livro para crianças de todas as idades. Através do imaginário, busca ressaltar valores como amizade e sabedoria.  Leia mais
30 melhores redações do Vestibular Unicamp 2004,  por .::. Verdes Trigos Cultural .::..
Apresenta as 30 melhores redações do Vestibular Unicamp 2004 em torno do tema cidade, divididas em dissertações, narrativas e cartas. Os textos são antecedidos da prova de redação e das expectativas da banca elaboradora para cada proposta.  Leia mais

Faça uma pesquisa no sítio

Utilizando-se uma palavra no formulário, pesquisa-se conteúdo no Sítio VerdesTrigos.

Ir ao início da página