início da navegação

RESENHAS

(para fazer uma pesquisa, utilize o sistema de buscas no site) VOLTAR IMPRIMIR FAZER COMENTÁRIO ENVIAR POR E-MAIL

Héracles, tragédia de Eurípides, chega ao Brasil em edição bilíngüe

Editora Palas Athena*

Vai ser lançada em julho, pela Editora Palas Athena, a primeira edição brasileira de Héracles, tragédia clássica de Eurípides, traduzida diretamente do grego pela jornalista Cristina Rodrigues Franciscato, mestre e doutoranda em Língua e Literatura Grega pela Universidade de São Paulo. A edição, bilíngüe, conta também com notas e um primoroso estudo introdutório assinado pela tradutora.

Héracles tem como tema a grandeza e a loucura do herói mais ilustre da mitologia grega, o célebre realizador dos Doze Trabalhos. A ação nos mostra Héracles (ou Hércules, seu nome latino), no ápice da glória, ao término dos Trabalhos, quando é enlouquecido pela deusa Hera. Louco, ele mata esposa e filhos com as mesmas armas que fizeram sua fama. Nesse sentido, é interessante notar que a peça focaliza um aspecto atualmente menos conhecido do mito, o que se poderia chamar talvez de "o outro lado" do herói.

A obra de Eurípides alerta para os perigos que acompanham a grandeza excessiva e a ultrapassagem de limites que são próprios aos mortais. De um modo geral, na tragédia grega, o herói, de qualidades e poderes excepcionais, acaba transpondo os limites próprios do humano. Essa transgressão perturba a ordem do mundo tal como deve ser. Então, cedo ou tarde, surge a punição divina, uma forma de restituir os limites transgredidos.

Autor de Medéia, Hipólito e As Bacantes, entre outras, Eurípides (c. 480/406 a.C.) introduziu inovações dramáticas na tragédia grega, tal qual desenvolvida pelos seus antecessores, Ésquilo e Sófocles. Num certo sentido, humanizou os velhos mitos da tradição helênica, conferindo-lhes maior densidade psicológica. Seu espírito crítico e ceticismo filosófico chocaram seus contemporâneos e ele alcançou maior popularidade após a morte. Segundo Plutarco, quando da guerra entre Atenas e Siracusa (415-413 a.C.), os vencedores siracusanos poupavam a vida dos atenienses que soubessem recitar algum trecho de Eurípides.

Sobre o Autor

Editora Palas Athena: Editora Palas Athena
Rua Serra de Paracaina, 240 - Cambuci
01522-020 - São Paulo - SP
Tel.: (11) 3209-6288 Fax (11) 3277-8137
e-mail: editora@palasathena.org
www.palasathena.org

 

< ÚLTIMA RESENHA PUBLICADA | TODAS | PRÓXIMA RESENHA >

LEIA MAIS

O novo conto brasileiro,  por Ronaldo Cagiano.
Destaco Paulo Sandrini, de 32 anos, um paulista de Vera Cruz que acaba de lançar em Curitiba, onde vive desde 1994, seu segundo e instigante livro de contos, "O estranho hábito de dormir em pé"  Leia mais
O Escritor do Comboio,  por Ronaldo Andrade.
O curto romance de Ronaldo passa-se numa viagem de comboio entre Lisboa e Porto, em que a protagonista envolve-se numa aventura imaginária com o passageiro ao lado. A idéia de encarnar uma mulher surgiu das letras de Chico Buarque.  Leia mais

Faça uma pesquisa no sítio

Utilizando-se uma palavra no formulário, pesquisa-se conteúdo no Sítio VerdesTrigos.

Ir ao início da página