Crônicas,contos e outros textos

PÁGINA PRINCIPAL LISTA DE TEXTOS Jacinto Guerra


COMPARTILHAR FAVORITOS ver profile do autor fazer comentário Recomende para um amigo Assinar RSS salvar item em delicious relacionar no technorati participe de nossa comunidade no orkut galeria relacionar link VerdesTrigos no YouTube fazer uma busca no VerdesTrigos Imprimir

São Miguel das Missões Verdes Trigos em São Miguel das Missões/RS - Uma viagem cultural

VerdesTrigos está hospedado no Rede2

Leia mais

 




 

Link para VerdesTrigos

Se acha este sítio útil, linka-o no seu blog ou site.

Anuncie no VerdesTrigos

Anuncie seu livro, sua editora, sua arte ou seu blog no VerdesTrigos. Saiba como aqui

O que acontece nos museus do Brasil

por Jacinto Guerra *
publicado em 03/06/2006.

De Brasília, museu de arte a céu aberto, ao toque dos sinos de São João Del-Rei, uma visita aos museus brasileiros.

Em Bom Despacho, o Museu da Cidade deve ser um novo espaço de conhecimento e de alegria para o povo.

Em todo o País, por iniciativa do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - Iphan, órgão do Ministério da Cultura, realizam-se vários eventos nos museus e outros centros de arte e cultura. Os motivos são diversos: 18 de maio é o Dia Internacional dos Museus, por decisão da Unesco, em Paris, enquanto, no Brasil, o Minc decidiu declarar 2006 como o Ano Nacional dos Museus.

Ampliando os objetivos do 18 de maio, desde 2003 o Iphan promove a Semana Nacional dos Museus que, em 2006, motivou iniciativas bem interessantes em todas as regiões do Brasil, além de um estudo e uma reflexão abrangentes sobre a Museologia, inclusive nas pequenas e médias cidades do País. A Associação Brasileira de Museologia - ABM participa ativamente do evento, que tem o patrocínio da Petrobrás e da Caixa Econômica Federal.

Em Jataí, no sudoeste de Goiás - onde o ex-governador de Minas Gerais, Juscelino Kubitschek, em campanha para a Presidência da República, assumiu o compromisso de construir Brasília - , há menos de 15 anos, não existia sequer um museu. Hoje, a cidade orgulha-se de seu importante Museu Histórico, do Parque Ecológico e Memorial JK, e do Museu de Arte Contemporânea, que realizam uma rica programação da Semana Nacional dos Museus.

Em Minas Gerais, São João Del-Rei - que possui rico patrimônio cultural dos tempos coloniais e um dos museus ferroviários mais importantes do mundo - promoveu um evento interessante e criativo: a Exposição "Voando com as Pipas", brinquedos alados que enfeitam os céus. Lá existe, também, o toque dos sinos das igrejas, inestimável bem cultural do povo mineiro. Neste Ano Nacional dos Museus, São João prepara-se para, em 2007, assumir a sua condição de cidade escolhida para ser a Capital Brasileira da Cultura.

A imaginação criadora nos Museus

Brasília, museu de arte a céu aberto, além de grandes e variadas exposições sempre abertas ao público - no Centro Cultural Banco do Brasil, no Palácio do Planalto, no Teatro Nacional Cláudio Santoro e outros espaços e centros culturais - oferece a oportunidade de mostrar, no Museu do Automóvel, situado no Eixo Monumental (ao lado do Palácio do Buriti), a exposição "Automóveis de Juscelino Kubitschek", que encanta seus visitantes, principalmente os que também visitam o Memorial JK.

No Catetinho, primeira edificação do Distrito Federal, o historiador Jarbas Marques, mineiro de Monte Carmelo e diretor do Patrimônio Cultural do DF, fez uma palestra sobre a construção da nova capital. No mesmo local, há 50 anos, Juscelino, Niemeyer e Israel Pinheiro realizavam as primeiras reuniões de trabalho da grande obra que se iniciava no Planalto Central.

Enquanto, no Rio de Janeiro, o Museu Aeroespacial apresenta o espetáculo teatral "Um vôo para Santos Dumont", em Caldas Novas, no Sul de Goiás, uma jovem aviadora, Aline Hallen, prepara-se para dirigir uma réplica do 14 Bis, construído e testado pelo seu pai, o engenheiro e empresário Alan Calassa. Depois, a morena de Caldas Novas irá voar em Paris, no Campo de Bagatelle, na tarde de 23 de outubro, exatamente no dia e local onde, há l00 anos, o inventor brasileiro conseguiu fazer o primeiro vôo de um aparelho mais pesado que o ar. Com estas iniciativas, começa a organização do Museu Aeronáutico de Caldas Novas.

Ainda no Rio de Janeiro, o Museu da República, instalado no antigo Palácio do Catete, programou a Exposição "Memórias em Preto e Branco: JK e o Fotojornalismo". Em Petrópolis, cidade onde morou Santos Dumont, o Museu Imperial promove um espetáculo de luz e som, no estilo dos que se realizam na Acrópole, em Atenas, e nas pirâmides do Egito. Em Angra dos Reis, o Museu de Arte Sacra mostra a Exposição "O Museu no coração das crianças", com desenho e pintura que revelam o olhar infantil sobre o museu.

A cidade de São Paulo possui alguns dos mais importantes museus da América Latina, especialmente o Masp - Museu de Arte de São Paulo e o Museu da Língua Portuguesa, com seus avançados recursos tecnológicos a serviço do idioma de Camões e Guimarães Rosa. Entre os eventos da Semana Nacional dos Museus, a iniciativa do Museu Lasar Segall merece destaque especial, com a promoção de palestra e conversa de Serginho Groisman sobre o tema "O desafio dos Museus em relação aos jovens".

No interior paulista, em Amparo, o Museu Histórico abriu suas portas ao público para a realização de um projeto que satisfaz a curiosidade de muita gente: "Os bastidores do Museu - Mostra da Reserva Técnica e da Sala de Higienização". Já o Museu Ferroviário de Bauru promoveu palestra sobre a lendária Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, além de passeios de locomotiva, gincanas e atividades de recreação para crianças e jovens. Na pequena Brodósqui, o Museu Casa de Portinari lançou o Projeto Jovens Amigos, que tem o objetivo de aproximar os jovens e o patrimônio de arte e cultura da cidade. O Museu Histórico da cidade de Cruzeiro promove uma série de estudos e palestras sobre a saúde, entre os quais "Cuidados com o fogo", "O fumo e a arteriosclerose" e "Os perigos de beber moderadamente".

Ainda no Estado de São Paulo, em Jundiaí, o Museu da Companhia Paulista promove a Exposição "Saudade do Trem de Ferro", enquanto no Museu Histórico de Mogi das Cruzes, a museóloga Graziela Carbonari falou sobre o tema "Hoje qualquer Mogi das Cruzes pode ter a sua Gioconda". O Museu do Café, de Ribeirão Preto apresentou, em mesa-redonda, o tema "O jovem afro-descendente no espaço do museu". Na cidade de Rio Claro, terra de Ulisses Guimarães, o Museu do Eucalipto distribuiu material sobre os museus, durante visitas de jovens e crianças da região.

O Museu Histórico de Tabapuã promoveu palestras e estudos sobre "A importância de um Museu" e "A museologia como formadora de história", terminando a programação com roda de viola, chorinho e música popular brasileira. Taubaté, cidade onde nasceu Monteiro Lobato, a Divisão Municipal de Museus organizou a "Exposição de Arte do Vale do Paraíba - Litoral Norte e Região Serrana" e a Exposição "Taubaté na História do Brasil". Na cidade de Presidente Prudente, o Centro de Museologia promoveu a visita guiada "Relação do Índio com o Meio Ambiente".

Na cidade de Goiás, mais conhecida como Goiás Velho - hoje Patrimônio Cultural da Humanidade -, o Museu das Bandeiras realizou a oficina de atualização "Os museus e o turista", enquanto a Casa de Cora Coralina promoveu mesa-redonda sobre o tema "A cidade e os museus" e a palestra "O Museu e o visitante jovem". Em Pires do Rio, o Museu Ferroviário, inovando, promoveu um desfile de moda jovem, ao som de piano e violino.

Goiânia, capital do Estado de Goiás, possui museus importantes. A UCG - Universidade Católica de Goiás mantém o Memorial do Cerrado que, além de possuir notável acervo de arqueologia e ciências naturais, tem uma vila colonial com igreja, venda, pracinha; uma sede de fazenda antiga, a réplica de um quilombo e uma aldeia indígena. O Museu Ornitológico de Goiânia, mantido pela Prefeitura, é dos mais completos de seu gênero em todo o mundo, com acervo de aproximadamente 30 mil peças: são aves e pequenos animais embalsamados da fauna brasileira e de todos os continentes. Na entrada do Museu, está a inhuma, ave brasileira de grande porte, símbolo do Estado de Goiás.

Em Cuiabá, no Mato Grosso - onde a Igreja de N. Sra. do Bom Despacho, em estilo românico, é um de seus monumentos mais importantes -, o Museu das Bonecas e Brinquedos ofereceu palestras e oficinas diversas: "Colecionar é uma arte", "Confecção de bonecas de pano", além da gincana "Brincadeiras de antigamente".

O Museu Latino-Americano, de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, patrocinou visitas de estudantes de escolas públicas da periferia da capital, enquanto o Museu de Arte Contemporânea realizou a oficina "O universo lúdico de Conceição dos Bugres", curso de "História da Arte - do moderno ao contemporâneo" e o projeto "Lendo o Museu para o público jovem". Ainda em Campo Grande, o Museu Casa da Memória promoveu a gincana "Copa do Mundo na Alemanha".

A Casa dos Povos da Floresta, em Rio Branco, apresentou a Exposição "Povos indígenas da Amazônia acreana". Ainda na capital do Acre, o Museu da Borracha realizou o sarau "Museu e público jovem" e a Exposição "História da Música Acreana". Em Manaus, o Museu do Homem do Norte promoveu a Exposição "Museus para quê?" e patrocinou a visita de jovens estudantes ao Teatro Amazonas e a outros espaços culturais e museus da capital amazonense, proporcionando-lhes uma rara e ótima oportunidade de conhecer diferentes centros de arte e cultura.

Na capital do Pará, o Museu de Arte de Belém promoveu visita guiada com o tema "Belém, 1905: obras de Antônio Parreiras", a palestra "O público jovem em Museu de Arte", a mesa-redonda "Juventude: inclusão cultural e participação", além de patrocinar o Circuito Cultural da Juventude - visitas a outros museus e espaços culturais da capital paraense -, completando um dos melhores programas da Semana Nacional dos Museus. Em Boa Vista, capital do Estado de Roraima, o Museu Integrado promoveu a Exposição "O jovem e o Museu", mostrando o trabalho de artistas da nova geração.

No Estado de Rondônia, em Porto Velho, o Museu da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré promove exposições fotográficas e palestras sobre a Madeira-Mamoré e suas ruínas em plena floresta amazônica. Ainda na Amazônia, o Centro de Pesquisas Museológicas de Macapá, conhecido como Museu Sacaca, apresenta o espetáculo teatral "Mitos e lendas da Amazônia". Na cidade de Palmas, no Tocantins, a mais jovem e moderna das capitais brasileiras, o Museu Histórico, conhecido como Palacinho, realizou a oficina "Implantação do Sistema Estadual de Museus" e o seminário "Público Jovem na História do Tocantins".

Na cidade alagoana de Palmeira dos Índios, o Museu Casa de Graciliano Ramos promoveu visita guiada de estudantes de todas as escolas do Município à casa onde, durante 15 anos, morou o famoso escritor, que foi prefeito da cidade e lá iniciou sua carreira literária. Em Fortaleza, o Museu do Ceará promoveu o curso "O Museu no ensino da História", ministrado pelo professor Régis Lopes, enquanto no interior do Estado, a pequena cidade de Tauá promoveu, em seu Museu Regional dos Inhamus, a Exposição "Uma fantástica viagem ao mundo da pré-história na região de Inhamus".

Em Salvador, na Bahia, o Memorial Irmã Dulce organizou a Exposição "A juventude aos olhos de Irmã Dulce". O Teatro Castro Alves promoveu palestra da professora Heloisa Helena Costa sobre "O patrimônio cultural e os espaços contemporâneos", enquanto o professor José Antônio Saja falou sobre o tema "O museu é um lugar de todos". A Orquestra Sinfônica da Bahia, em apresentação especial, encerrou em Salvador as comemorações da Semana Nacional dos Museus.

Em Domingos Martins, no Espírito Santo, o Museu Casa de Cultura promoveu palestra de Joel Guilherme Velten sobre tema "Museu de portas abertas ao jovem", além de visitas monitoradas à exposição permanente do Museu e apresentação dos alunos da Escola de Música Helena Gerhardt. Em Santa Teresa, o Museu de Biologia promoveu palestra sobre o tema "O universo dos Museus", para as crianças que estudam na rede escolar do Município.

Na cidade maranhense de Balsas, o Museu do Sertão instituiu o "Dia D para a doação de peças museológicas", além do Concurso Literário "A importância do Museu para a juventude". Ainda no Maranhão, a cidade de Caxias orgulha-se de possuir o Memorial da Balaiada, que preserva a memória de importante revolta popular. Na Semana dos Museus, promoveu, ainda, exposições, palestras, exibição de documentários e sessões de teatro sobre o Memorial da Balaiada e a cidade de Caxias, além do lançamento de um livro sobre a chamada Revolta dos Balaios.

Em João Pessoa, capital da Paraíba, o Museu José Lins do Rego promoveu a Exposição "70 Anos do Moleque Ricardo", baseada na obra do escritor que dá nome ao Museu, e patrocinou visita guiada ao Planetário da Cidade para o espetáculo "Noite estrelada na cidade do Pilar". Enquanto isto, na cidade paraibana de Pombal, o Dia Internacional dos Museus foi comemorado com oficinas e cursos especiais, espetáculos de folclore, teatro e apresentação de fanfarras.

O Museu do Barro, em Caruaru, no sertão de Pernambuco, ofereceu oficinas de cerâmica, visitas guiadas e apresentação de vídeos em homenagem a Mestre Vitalino, o mais famoso dos ceramistas brasileiros, enquanto o Museu do Cordel promoveu uma festa bem no estilo nordestino, com muita poesia, desafio de repentistas, teatro e a melhor música sertaneja.

No arquipélago de Fernando de Noronha, o Memorial Noronhense, na pequena Vila dos Remédios, instituiu o Concurso Literário "Aprendendo para construir o futuro de Fernando de Noronha" e promoveu um bate-papo com o Grupo da Boa Idade, sem explicar, no entanto, se o pessoal é da galera mais jovem ou já se aproxima do reino da paz, como disse Cora Coralina.

Em Mossoró, no Rio Grande do Norte, o Museu do Petróleo apresenta uma exposição sobre assunto muito atual: "A auto-suficiência brasileira na produção de petróleo". Em Natal, o Museu Câmara Cascudo promoveu a Exposição "Santeiros e devoções do Rio Grande do Norte" e a sessão de teatro "Patrimônio na rua: uma farsa do Boi de Reis".

Na cidade histórica de Laranjeiras, em Sergipe, o Museu Afro-Brasileiro realizou seminários e gincanas sobre a importância dos museus na educação e fez distribuição de folhetos sobre o tema. Encerrou a Semana dos Museus com apresentação da Orquestra Sinfônica de Sergipe. Ainda no interior de Sergipe, em São Cristóvão, o Museu Arqueológico de Xingó promoveu, no Colégio de Aplicação da UFS - Universidade Federal de Sergipe, o curso "O Museu vai à Escola, a Escola vai ao Museu", encerrando as comemorações com a oficina-projeto "Férias arqueológicas" e apresentação de grupos folclóricos da região do Xingó.

Em Teresina, o Museu do Piauí está coordenando a realização de visitas guiadas a museus do Estado nas cidades de Picos, Floriano, Amarante, Piripiri, Pedro II, Oeiras e União, além de promover, na capital, apresentações de Reisado e a Exposição "Jovens Artistas Piauienses".

O Museu Nacional da Poesia é a novidade em Belo Horizonte, com sua oficina de criação poética e divulgação multimídia da obra de grandes poetas, enquanto o Museu de Mineralogia promove palestra sobre "A História da mineração no Quadrilatero Ferrífero e seu potencial para o Turismo". No entanto, o grande destaque em Minas Gerais é o novo Museu de Artes e Ofícios, do melhor padrão internacional, sobretudo com sua notável Exposição "Trabalho e Trabalhadores do Brasil".

No interior de Minas, o Museu Histórico de Araxá promove o espetáculo teatral "Sarau com Dona Beja". Na cidade de Caeté, próxima de Belo Horizonte, o Museu de Arte Popular lança o Projeto "Santo de casa faz milagre sim!" Já em Cordisburgo, terra de Guimarães Rosa, a Casa-Museu Guimarães Rosa comemora o "Centenário do Vovô Felício", que é o escritor Vicente Guimarães, tio do autor do "Grande Sertão: Veredas". Vovô Felício escreveu o "João Bolinha virou gente", um clássico da literatura infantil e "JK, o menino de Diamantina", além de outros livros.

Divinópolis, uma das cidades mais desenvolvidas de Minas Gerais, terra da escritora Adélia Prado, destaca-se na Semana dos Museus com uma programação de caráter educativo, promovida pelo Museu Histórico, com a Exposição "Ferrovia, Siderurgia e Confecção de Roupas - Marcos da evolução em Divinópolis", além de um desfile de modas apresentando criações de artistas da cidade, que são professores e estudantes de curso superior de moda e confecções, encerrando a comemoração com um espetáculo do Dazibao - Grupo perfomático que mescla teatro, música.

A cidade de Ouro Preto, Patrimônio Cultural da Humanidade, possui o importante Museu da Inconfidência, promove o seu Fórum de Museus, além de diversos e variados eventos de arte e cultura, entre os quais o Encontro Bate-Papo "Lendas e fatos da Praça Tiradentes". A antiga Vila Rica que, no período colonial, foi uma das cidades mais importantes das Américas, é hoje um centro universitário e cultural muito dinâmico. Entre os seus museus e casas de cultura, destaca-se o Museu do Oratório, o primeiro do mundo em sua categoria e uma das belas atrações turísticas da cidade.

No Paraná, a pequena cidade de Irati promove, no Museu Municipal, um mutirão para o resgate de fotos e documentos antigos, numa programação enriquecida com visitas guiadas sobre a memória histórica e o patrimônio cultural da cidade. Em Maringá, o Museu da Universidade Estadual organiza exposição sobre a cidade, com o tema "Do pioneirismo aos tempos atuais". Em São José dos Pinhais, vizinha de Curitiba, o Museu Municipal lança o livro "II Guerra Mundial", da historiadora Carmen Rigoni.

Em Concórdia, Santa Catarina, o Memorial Attílio Fontana promove a Exposição "Os segredos de uma boa fotografia" e uma oficina sobre "Duvidas a respeito da fotografia artística", enquanto na cidade de Caçador, o Museu Histórico e Antropológico apresenta a Mostra "Antigo Egito: uma cultura milenar". Na capital, Florianópolis, o Museu de Arte de Santa Catarina - Masc lança, na internet, a sua nova página eletrônica e promove palestra e estudos sobre o tema "Museus de Arte: das origens à modernidade".

Na terra do poeta Mário Quintana, a cidade gaúcha de Alegrete, o Museu Mário Quintana mantém exposição permanente sobre a obra do escritor, enriquecida com objetos de seu uso pessoal. Promoveu, também, uma exposição da fotógrafa Dulce Helfer sobre o tema O cotidiano do poeta". No Dia Internacional dos Museus, Caxias do Sul apresentou uma novidade em seu Museu Municipal, com a oficina "Seja museólogo por um dia", enquanto na cidade de Rio Grande, o Museu dos Capuchinhos organizou a mostra didática: "A religiosidade católica e os seus símbolos".

Os museus de Uruguaiana, no extremo sul do Brasil - Museu Histórico e Artístico, Museu Criolo e Museu Didacta - organizaram-se e, conjuntamente, promoveram palestra sobre o tema "JK - A minissérie da televisão sob o olhar da História" e organizaram a oficina "Conservação de Documentos em Suporte de Papel." Já o Museu do Calçado, em Novo Hamburgo, montou a Exposição "Chuteiras: Copa do Mundo", no momento em que o Campeonato Mundial de Futebol, na Alemanha, empolga e emociona cidadãos de todos os continentes e países.

Na cidade gaúcha de São Borja, terra de dois Presidentes da República, o Museu Getúlio Vargas promove palestras e projeção de filmes sobre a trajetória de Vargas, envolvendo, também, a figura de outro filho da terra, o presidente João Goulart, mais conhecido como Jango, sucessor de Jânio Quadros no Palácio do Planalto.

Ainda no Rio Grande do Sul, a cidadezinha de Bom Jesus surpreende o Brasil com projetos criativos e bem interessantes, no Museu Municipal: "Conhecendo a história através da música", "Música no Museu" e "Os jovens se comunicando através dos tempos". Para encerrar a programação, os jovens que não têm acesso fácil à internet participam da "Visita aos museus mais importantes do Brasil e do mundo."

É interessante verificar a diversidade dos eventos realizados em todas as regiões do Brasil, numa prova evidente de que os museus brasileiros estão vivos e atuantes. Em todo o Pais, outros museus e centros culturais realizaram - e realizam - projetos importantes que precisam ser divulgados e conhecidos.

Foi muito feliz o Sistema de Museus do Rio Grande do Sul ao definir, entre as ações e projetos desenvolvidos na Semana dos Museus, no período de 15 a 19 de maio, aquela diretriz que pode - e deve - ser uma política de Estado e de Governo, em todos os níveis: "Museu: toda cidade merece ter o seu".

Bom Despacho, Minas Gerais - o Museu da Cidade prepara-se para o futuro

A cidade de Bom Despacho fica situada a meio caminho entre Araxá e Belo Horizonte, na direção da Serra da Saudade. É uma pequena capital da região que vai das nascentes do Rio São Francisco até o grande lago de Três Marias. A povoação tem sua origem nos fins do século XVIII, quando colonizadores portugueses, naturais do Minho, fundaram a pequena aldeia de Nossa Senhora do Bom Despacho, nas encostas de três colinas, lugar muito pitoresco pela beleza e amplidão de seus horizontes.

Modernamente conhecida como a cidade da Senhora do Sol, Bom Despacho tem, na Museologia, uma interessante história de pioneirismo. Uma locomotiva-monumento, a Maria Fumaça, é a primeira peça do Museu Ferroviário, em organização por iniciativa de ferroviários de empresas que sucederam a antiga Estrada de Ferro Paracatu.

A sede, os escritórios e o setor residencial dos engenheiros, técnicos e operários da antiga Estrada de Ferro é a Vila Militar do 7º Batalhão da Polícia Militar de Minas Gerais, desde as primeiras décadas do século XX. É uma cidadezinha-museu, de arquitetura inglesa, cercada de pequenas muralhas, onde destacam-se a bela residência senhorial do comandante, alguns bangalôs, um coreto em estilo chinês, uma igrejinha, áreas verdes - e um quartel que mais parece um palácio.

No Quenta-Sol, periferia de Bom Despacho e antigo lugar de população negra ? rico em lendas e tradições afro-brasileiras ?, um acervo de peças dos tempos da escravidão e dos quilombos está sendo organizado para formar o Museu do Negro.

No primeiro governo do prefeito Haroldo Queiroz (1997-2000), a cidade viveu um período de expressivo desenvolvimento, especialmente nas áreas de educação, cultura e lazer. Com isto, um pequeno grupo de voluntários instituiu o Museu da Cidade-MdC, que hoje funciona no interior de um prédio da Prefeitura, na Avenida Ari Marques, ao lado do Paço Municipal Antônio Leite, no centro da cidade.

Inaugurado com uma solenidade especial, no dia 30 de maio de 1998, na abertura das comemorações do 86º Aniversário de Bom Despacho, o Museu da Cidade é uma iniciativa de Nilce Coutinho Guerra, artista plástica e professora de Educação Artística, formada pela UnB-Universidade de Brasília, que idealizou e organizou o Museu, num trabalho voluntário, colocando a serviço da comunidade seus conhecimentos, estudos e experiências na área da Museologia.

O empreendimento tornou-se realidade em parceria com a Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, e o apoio de algumas instituições, empresas e famílias de Bom Despacho, destacando-se os recursos humanos e a estrutura administrativa da Biblioteca Municipa.

A solenidade de inauguração do MdC, contou com a presença, ao lado das autoridades municipais e lideranças da cidade, de uma delegação oficial de Vila Verde, Portugal, cidade irmã de Bom Despacho, situada na província do Minho, região de onde vieram os colonizadores da cidade da Senhora do Sol.


O MdC consolidou-se com a fundação da Associação Museu da Cidade-AMC, instituída em 3 de maio de 1999. O presidente da AMC é o empresário Julio Benigno Fernández, cidadão argentino que mora em Bom Despacho e atua na indústria de produtos com pedras semi-preciosas. Natural de Concepcion, Norte da Argentina, Julio Fernández residiu muito tempo em Buenos Aires e depois em São Paulo, adquirindo grande experiência de Brasil e uma visão cosmopolita da cultura.

A fundadora do Museu, Nilce Coutinho Guerra, exerce as funções de diretora e representante da AMC em Brasília, responsabilizando-se pelo planejamento de ações administrativas de natureza técnica e pela supervisão de atividades e coordenação de eventos especiais.

Nilce Coutinho afirma que "o Museu precisa de recursos financeiros para aquisição de equipamentos de segurança e manutenção, vitrines especiais, armários para a Reserva Técnica. Necessita, ainda, de mais funcionários, de estagiários, especialmente de Museologia, História, Turismo, Ciências ? e de voluntários de profissões diversas, interessados nas questões de patrimônio cultural e artístico da cidade". Afirma a diretora do Museu que "em ocasiões especiais, principalmente na promoção de eventos, os voluntários poderão oferecer alguns horas de trabalho em benefício do Museu, num exercício de cidadania que será devidamente registrado e divulgado".

A museóloga espera, também, que a AMC tenha condições de ampliar o seu quadro de sócios, não só com moradores de Bom Despacho, mas também com cidadãos bondespachenses e amigos da cidade residentes em outros lugares, sobretudo em Brasília e Belo Horizonte. A diretora do Museu da Cidade espera que a sociedade organizada dê um forte apoio à AMC, em sua tarefa de manter e desenvolver uma instituição importante na preservação do patrimônio cultural e da memória histórica da cidade. Nilce Coutinho, em seu planejamento do Ano Nacional dos Museus propõe a realização, a partir de 2006, de uma campanha permanente de doação, ao Museu da Cidade, de peças e documentos de valor histórico e artístico, que serão devidamente registrados e incorporados ao acervo, com o nome de seus doadores.

Atualmente, integram os órgãos de direção e o Conselho Deliberativo da AMC, cidadãos atuantes na comunidade, entre os quais o padre Robson Teixeira Campos, o engenheiro Renato Campos, o empresário Ricardo Alvarenga, os professores Ademar Garcia de Carvalho e Maria da Conceição Costa, a funcionária municipal Maria Avelina de Jesus e outros voluntários, especialmente Geraldo Pereira de Melo, Maria Eulália Eleutério e João Batista da Silva.

Numa visão contemporânea, a equipe do MdC entende que "Museu é um espaço de arte e cultura que, utilizando recursos e linguagens modernas, oferece às pessoas a oportunidade de observar, admirar e estudar documentos peças, objetos, saberes e experiências que comprovam as conquistas do homem através dos tempos" ? e que "O museólogo estuda o passado numa relação dinâmica com o presente. O seu objetivo é o futuro, com as exigências cada vez maiores de domínio dos conhecimentos e das técnicas que constroem as civilizações."(Jacinto Guerra e Nilce Coutinho)

O Museu da Cidade possui, em seu acervo, variado material que documenta fases da historia da cidade; de personalidades que marcaram passagem e deram exemplos de cidadania, além de objetos de outros paises e de todo o Brasil. Duas peças, um quadro a óleo da Matriz de Bom Despacho, de autor desconhecido, e um grande vaso de cerâmica pré-colombiana, com ossadas humanas, encontrado na Fazenda Indaiá, nas imediações da cidade, integram a relação de bens tombados pelo Conselho Municipal do Patrimônio Cultural.

Na opinião de Ângelo Oswaldo de Araújo, atual prefeito de Ouro Preto, que fez uma visita oficial a Bom Despacho, em 1999, quando era Secretário de Estado da Cultura, "uma das características mais interessantes do Museu da Cidade é a diversidade de seu acervo, que sinaliza perspectivas empolgantes".

De fato, nesse Museu, algumas surpresas aguardam, principalmente, os turistas, que poderão conhecer registros da cultura afro-brasileira, como a Língua da Tabatinga, objeto de tese universitária e um livro da professora Sônia Queiroz, da UFMG - e matérias sobre o trabalho das lavadeiras da Biquinha, que constituem saberes e conhecimentos do patrimônio imaterial de nossa cultura. Os estudos de Sônia Queiroz têm repercussão internacional e, nos meios universitários, a Tabatinga, periferia da cidade, é mais conhecida que a própria Bom Despacho.

O Museu possui desde peças muito antigas como um tronco de madeira petrificada há milhões de anos e a Igaçaba da Fazenda Indaiá, com mais de mil anos, até produtos de indústrias modernas do Município: o mobiliário do próprio Museu e artigos com pedras semipreciosas, que são exportados para diversos países, além de peças de valor histórico e artístico preservados na Bom Despacho contemporânea.

Encontra-se representado, no Museu da Cidade, o Reinado de Nossa do Rosário, uma tradição centenária, também conhecida como Congado ou Festa do Rosário, que o Correio Braziliense considerou como uma das festas populares mais belas do interior do Brasil.

O visitante poderá, também, conhecer e admirar obras interessantes do artesanato de Bom Despacho e de Vila Verde, Portugal, especialmente o Lenço dos Namorados, bela tradição daquela cidade do Minho - e objetos de outras regiões do Brasil e de países como a Argentina, o Peru, a Bolívia e a Grécia.

A Exposição de Arte Infantil, o Concurso de Presépios e a Mostra de Arte da Juventude são eventos que o MdC promove anualmente. Além de seu valor educativo, atraem a atenção da mídia e divulgam a cidade, tendo o Museu e seus eventos conseguido espaço, inclusive na Rede Globo de Televisão, no Estado de Minas e na revista VEJA, sendo que, em 2005, o Concurso de Presépios de Bom Despacho foi divulgado na Rádio Vaticano, a emissora do Papa.

Para assegurar o desenvolvimento e a permanente atualização do Museu da Cidade, o presidente da AMC, Julio Fernández, entende que "é necessário parcerias mais amplas, principalmente com os órgãos municipais de Educação e Cultura".

A Associação Museu da Cidade defende e propõe convênios com o Sesc-MG - Serviço Social do Comércio de Minas Gerais, que possui, na cidade, um grande centro de turismo, cultura e lazer, e com a Unipac-Universidade Presidente Antônio Carlos / Campus de Bom Despacho, instituições cujos objetivos se completam e se enriquecem com as finalidades de um Museu ativo e moderno que, em 2008, estará comemorando o seu 10º aniversário.

Atualmente, o MdC encontra-se instalado num imóvel que não permite o seu desenvolvimento, uma vez que o espaço disponível não comporta qualquer ampliação de serviços. Considerando o interesse do prefeito Haroldo Queiroz em resolver, em caráter definitivo, o problema de espaço físico do Museu, a AMC trabalha no sentido de construir um prédio para esta finalidade.

Em Bom Despacho, os imóveis de valor histórico e artístico, que são mais adequados à instalação de um Museu, abrigam outras instituições ou pertencem a particulares, que neles ainda residem. Desta forma, a AMC pretende colaborar com a Prefeitura no sentido de conseguir a aquisição de um terreno para a construção do Museu, em local de fácil acesso aos turistas e moradores da cidade, especialmente pessoas idosas ou portadoras de necessidades especiais.

Conseguido o terreno para as obras do Museu, a idéia é promover um Concurso de Arquitetura para a escolha do melhor projeto de uma construção, ao mesmo tempo, moderna, funcional e de baixo custo.

De posse do terreno e do projeto arquitetônico, uma Comissão Executiva de alto nível, presidida pelo Prefeito e integrada por representantes da AMC e da sociedade civil, deverá encarregar-se de coordenar uma grande campanha de captação de recursos ? verbas públicas, apoio empresarial e contribuição do povo, com pequenas doações e trabalho voluntário ? para, até fins de 2008, construir e inaugurar o MdC num prédio de arquitetura moderna, que deverá ser um espaço de conhecimento, de alegria e de entusiasmo do povo.

Em Bom Despacho, o Museu da Cidade tem uma frase-símbolo garimpada na poesia de Carlos Drummond de Andrade: "Depois da cidade, o mundo; depois do mundo, as estrelas".

(Texto elaborado com a colaboração de Nilce Coutinho Guerra e pesquisas na programação da Semana Nacional dos Museus / Iphan / Ministério da Cultura, arquivo do Museu da Cidade / Bom Despacho, MG e no Correio Braziliense ( 26-5-2006, página 32, "A filha da aviação", reportagem de Renato Alves).

Jacinto Guerra, professor, escritor e estudioso de Museologia, foi Secretário de Cultura e Turismo de Bom Despacho no primeiro governo de Haroldo Queiroz (1997-2000), quando se instituiu o Museu da Cidade. É Secretário-Geral e membro da Representação da AMC em Brasília.

Sobre o Autor

Jacinto Guerra: JACINTO GUERRA, mineiro de Bom Despacho, é autor de ensaios e biografias como o JK-Triunfo e Exílio-Um estadista brasileiro em Portugal, além de outros livros, entre os quais O gato de Curitiba - crônicas de viagem e outras histórias, editados pela Thesaurus, em Brasília.

< ÚLTIMA PUBLICAÇÃO | TODAS | PRÓXIMA>

LEIA MAIS


Serviço - Para saber mais sobre as Missões Jesuíticas, por Henrique Chagas.

GRUPO LITERÁRIO A ILHA, 25 ANOS DE LITERATURA, por Luiz Carlos Amorim.

Últimos post´s no Blog Verdes Trigos


Busca no VerdesTrigos