Crônicas,contos e outros textos

PÁGINA PRINCIPAL LISTA DE TEXTOS Ângelo Caio Mendes Correa Jr.


COMPARTILHAR FAVORITOS ver profile do autor fazer comentário Recomende para um amigo Assinar RSS salvar item em delicious relacionar no technorati participe de nossa comunidade no orkut galeria relacionar link VerdesTrigos no YouTube fazer uma busca no VerdesTrigos Imprimir

São Miguel das Missões Verdes Trigos em São Miguel das Missões/RS - Uma viagem cultural

VerdesTrigos está hospedado no Rede2

Leia mais

 




 

Link para VerdesTrigos

Se acha este sítio útil, linka-o no seu blog ou site.

Anuncie no VerdesTrigos

Anuncie seu livro, sua editora, sua arte ou seu blog no VerdesTrigos. Saiba como aqui

Ruy Affonso e os Jograis de São Paulo

por Ângelo Caio Mendes Correa Jr. *
publicado em 12/03/2008.

Por quase seis décadas, Ruy Affonso, que dentre tantos méritos, foi um dos fundadores do TBC , Teatro Brasileiro de Comédia, em 1948, e criador dos Jograis de São Paulo, em 1955, deixou marca definitiva em nosso cenário artístico, não apenas como ator, mas também escritor, diretor e professor.
Formado em Direito pela Universidade de São Paulo, onde cursou também Filosofia, seu aprendizado teatral deu-se com a colaboração de destacados diretores estrangeiros que vieram ao Brasil na primeira metade do século XX, como Adolfo Celi, Luciano Salce e Ziembinski. Teve ainda o privilégio de ser orientado por Verá Korène Rognoni, da Comédie Française e pelo mímico Marcel Marceau.

Em 1955 criou os Jograis de São Paulo, conjunto formado por quatro atores, pelo qual passaram, em suas diversas formações, nomes como Rubens de Falco, Armando Bogus, Raul Cortez, Ítalo Rossi, Carlos Vergueiro, Homero Kosac e Fúlvio Stefanini, apresentando poesia, seja através de coral ou solos encadeados. Com o grupo excursionou por todo Brasil, Portugal, Angola, Moçambique e México.

Professor de Dicção e Interpretação, ministrou cursos em mais de uma dezena de instituições brasileiras, como Universidade de São Paulo, Universidade de Campinas, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e Fundação Armando Álvares Penteado.

Na condição de conferencista passou, dentre outras, pela New York University, Università di Roma, Universidade de Coimbra e Universidad Autonoma de Mexico, sempre difundindo a cultura luso-brasileira.

Autor de oito livros de poesia, Rumo Enxuto (1950), Cinco Canções para Elizabeth (1975), Epigramas (1959), Romance da Rosa (1962), Sombra e Vento (1966), Contraponto Paulistano (1969) e Cancioneiro de um Jogral de São Paulo (1985), que reúne os anteriores, despertou significativo interesse da crítica. Sobre Rumo Enxuto afirmou Miguel Torga tratar-se de "autêntica poesia".Cecília Meireles, ao referir-se a Cinco Canções para Elizabeth disse: " Eu que conheço Elizabeth, sei que ela merece. Mesmo assim fiquei com muita inveja dela: nunca ninguém escreveu Cinco Canções para Cecília...meus parabéns a você, Ruy Affonso, e todo meu carinho para sua musa". Péricles Eugênio da Silva Ramos destacou a "concisão lapidar " de Epigramas. Para Guilherme de Almeida "Romance da Rosa é dos poemas mais belos já surgidos em nossa língua". Manuel Bandeira vi em Sombra e Vento "um coroamento poético, laboriosamente conquistado". Almada Negreiros, enfático, disse: "Deslumbrei-me com o Contraponto Paulistano, com ele Ruy Affonso levou-me às mesmas paragens que me haviam levado a Ode Marítima do Fernando Pessoa e o Coup de Dès do Mallarmé." E Cassiano Ricardo, a respeito de Burlas Burlescas, destacou "sua agilidade de espírito, seus ritmos, seus efeitos e todo seu artefazer levam o leitor a um paroxismo lúdico."

Por muitos anos foi colaborador do Suplemento Literário de O Estado de S. Paulo, tendo publicado ainda o ensaio Padronização da Prosódia Brasileira, pelo Ministério da Educação e Cultura, em 1958.

Atuando ou dirigindo, esteve presente em dezenas de importantes montagens como O Mentiroso, de Goldoni, Ralé, de Gorki, Amadeus, de Peter Shaffer, O Santo Milagroso, de Lauro César Muniz, Morte e Vida Severina, de João Cabral de Melo Neto e As Bocas Inúteis, de Simone de Beauvoir. Na Companhia Vera Cruz foi dirigido por Luciano Salce em Uma Pulga na Balança.

Integrando os Jograis de São Paulo ou sozinho, gravou doze discos, o primeiro intitulado Moderna Poesia Brasileira, em 1956 e o último, Ruy Affonso diz Ruy Affonso, em 2000, comemorando seus 80 anos, produzido por Alex Ribeiro.

Em plena atividade até o final da vida, a revista Cult publicou seu último trabalho no mês em que faleceu, junho de 2003, dedicado ao amigo Pedro Nava.
E hoje a história dos Jograis de São Paulo e sua discografia, produzidas ao longo de quase cinco décadas, podem ser acessadas virtualmente, através do site www.futurart.com.br/jograis.

Sobre o Autor

Ângelo Caio Mendes Correa Jr.: Ângelo Caio Mendes Correa Jr. é professor e mestre em Literatura Brasileira pela Universidade de São Paulo. Bibliófilo e articulista, tem vários ensaios sobre livros e escritores já publicados em vários jornais e sites do país. Reside em São Paulo.



< ÚLTIMA PUBLICAÇÃO | TODAS | PRÓXIMA>

LEIA MAIS


SOU RÉU CONFESSO, por Rubens Shirassu Júnior.

Rachel Jardim e a herança dos mortos: um bordado a retomar, por Chico Lopes.

Últimos post´s no Blog Verdes Trigos


Busca no VerdesTrigos