início da navegação

RESENHAS

(para fazer uma pesquisa, utilize o sistema de buscas no site) VOLTAR IMPRIMIR FAZER COMENTÁRIO ENVIAR POR E-MAIL

Pedro Nava por Manoel Hygino

Napoleão Valadares*

Conhecemos há muito o trabalho de Manoel Hygino dos Santos. Não bastassem os livros publicados, os ensaios sobre Hamlet, Rasputin, Darcy Ribeiro e outros temas palpitantes, além de contos, crônicas e os artigos do Hoje em Dia, sai agora o seu novo livro Tu és Pedro Nava - Um crime que ficou sem castigo, em que ele trata da vida e da morte do grande memorialista, talvez o maior dos nossos. E o faz de modo simples, à mineira, mas com precisão e profundidade. Mostra o Pedro Nava estudante, médico, o escritor, o poeta, o homem, o morto. Traz-nos opiniões e sentimentos dos amigos do memorialista juiz-forano, como Afonso Arinos de Melo Franco, Vivaldi Moreira e outros. Lembra as considerações de poetas como Bandeira e Drummond, dá informações sobre as opiniões do povo quanto à morte trágica que chocou os meios intelectuais do País. E não lhe escapa a oportunidade de relacionar fatos ligados a escritores como Proust, Montaigne, Sartre, Baudelaire, Verlaine, Rimbaud.

Mas o livro versa, principalmente, sobre a morte, os motivos que levaram uma pessoa a cometer o gesto de pôr fim à própria vida. É sobre isso que ele mais trata e trata de forma magistral, citando opiniões de pessoas do ramo, conhecedoras da matéria. E mais à frente, apresenta uma relação de escritores que enveredaram para o encontro desse tipo de fim, a começar por Sócrates, Ernest Hemingway, Yukio Mishima, Stefan Zweig, Vladmir Maiakovski, Virginia Woolf, Walter Venjamim, Yassunari kawabata e Sylvia Plath (esqueceu-se de Hermes Fontes e de Batista Cepelos).

Além de tudo o mais que nos ensina o livro, traz preciosos dados sobre essas figuras da História, dados que às vezes temos dificuldades em encontrar e dados que às vezes nos deixam pensativos, como as peripécias da incrível vida de Hemingway.

Tudo isso é interessante, umas vezes impressionante e muitas chocantes. Mas o melhor do livro é a forma concisa e precisa como o tema é tratado. Para se conhecer bem Pedro Nava, basta que se leia essa obra de Manoel Hygino dos Santos. Queremos mesmo crer que ela seja, sem desfazer de outras, o melhor trabalho que temos sobre o memorialista mineiro.

Sobre o Autor

Napoleão Valadares: NAPOLEÃO VALADARES nasceu em Arinos (MG) em 1946 e está radicado em Brasília desde 1966. Autor de diversos livros, entre os quais os romances Urucuia e Remanço. Organizou Contos Correntes, antologia de contos de escritores brasilienses, em 1988. Napoleão Valadares é romancista e contista. Pertence à Associação Nacional de Escritores e à Academia de Letras do Brasil.

 

< ÚLTIMA RESENHA PUBLICADA | TODAS | PRÓXIMA RESENHA >

LEIA MAIS

Scliar explora dois percursos narrativos em sua nova obra,  por .::. Verdes Trigos Cultural .::..
Um diamante é, digamos, a "pedra de toque" desta nova ficção do escritor gaúcho Moacyr Scliar, colunista da Folha, a qual apresenta dois percursos narrativos claros.  Leia mais
Mania de Mamãe: contos,  por Ida Lehner de Almeida Ramos.
Manias de Mamãe, a obra que o leitor passa a ter acesso agora, é, senão a essência, um apurado painel da produção de Ida Lehner no gênero em que ela se fez um das autoras mais premiadas em todos os tempos.  Leia mais

Faça uma pesquisa no sítio

Utilizando-se uma palavra no formulário, pesquisa-se conteúdo no Sítio VerdesTrigos.

Ir ao início da página