início da navegação

RESENHAS

(para fazer uma pesquisa, utilize o sistema de buscas no site) VOLTAR IMPRIMIR FAZER COMENTÁRIO ENVIAR POR E-MAIL

Entre as Fronteiras - O Manuscrito de Sônia

Mariana Brasil*

Chegou ao Leitor Brasileiro o “Manuscrito” que foi a gênese do Livro “Onze Minutos”.
A história de uma brasileira que trabalhou como prostituta na Europa – que poderia ser igual a tantas outras – traz algo especial que a distingue das demais:

Transformou-se inicialmente num manuscrito (O manuscrito de Sônia) – que foi decisivo para o surgimento da idéia do mais recente livro de Paulo Coelho, Onze Minutos – e, depois – por verdadeira obstinação de sua autora – em um Livro editado em nosso País. Após o lançamento e com a primeira edição esgotada, a autora participará de tardes e noites de autógrafos em diversas capitais do Brasil.

O relato de Mariana Brasil (pseudônimo de Sônia e personagem central do romance) mereceu um prefácio “raro” do criador de O Alquimista, no qual ele conta um pouco de seu encontro com a autora de Entre as Fronteiras, nome este alusivo ‘as situações limite, “territoriais e emocionais”, vividas por “Mariana” nos países em que trabalhou (Itália e Suíça).

O Livro definido por sua autora como um misto de realidade e ficção – é baseado em fatos reais – vividos em parte pela protagonista e, também, nas experiências verdadeiras de centenas de mulheres, homens, transexuais, amigos e amigas – a quem conheceu, ouviu, “amou” e entrevistou.

A partir dessa base, Sonia criou “Mariana” e suas companheiras de viagem*, como costuma dizer – uma galeria de mais de 15 personagens que representam um pouco de tudo o que viveu, viu e ouviu.

Essa fusão de personalidades reais e fictícias deram vida e autenticidade ao livro Entre as Fronteiras – O Manuscrito de Sonia. Trata-se, em síntese, de uma narrativa que mostra o mundo da prostituição visto de dentro, na qual Mariana expõe seu modo de pensar, envolvido por conflitos e expectativas de uma vida melhor, ora ditados pela necessidade premente de sobrevivência, ora cheios de esperança.

A visão de mundo da autora se revela nas trajetórias das personagens que nos apresenta: algumas com resultado trágico, outras com “final feliz”, mostrando-nos que mesmo um caminho marcado pela discriminação e pela perseguição pode levar a situações desejáveis, apesar dos inúmeros obstáculos. Suas reflexões sobre os extremos do mais antigo dos “sonhos” ditados pela Sociedade – de preservação de valores como a família, casamento, filhos etc… - mostra que tal sonho acaba resistindo a tantas experiências difíceis. Talvez uma forma de vitória do “amor”.

De Paulo Coelho, sobre o livro, em seu prefácio:

“(…) Não leio manuscritos, mas li aquele – a história de uma mulher, uma prostituta que muito amou, suas dificuldades com a lei, suas aventuras. (…) adorei o livro e o modo delicado como contava a trajetória de Mariana, a protagonista. (…) “Mariana” mostra neste livro, com um realismo envolvente, doce, porém desconcertante, um mundo visto, ouvido e vivido de dentro. Suas palavras (…)podem nos levar ao inferno em busca de si mesmo, e ao paraíso do encontro com o amor.”

Na Itália, o seu manuscrito - que serviu de gênese para o livro "Onze Minutos" de Paulo Coelho- , foi publicado pela Italia Nuova Editori.


Sobre o Autor

Mariana Brasil: Mariana Brasil nasceu no sul do Brasil, no ano de 1966, atualmente com 37 anos. Há treze anos mora na Europa, no norte da Itália. Sua trajetória de vida inspirou o escritor Paulo Coelho em seu ultimo romance "Onze Minutos". Mariana atualmente dedica grande parte de seu tempo à escritura e ao aprimoramento no aprendizado da profissão que escolheu para si, "escritora".

 

< ÚLTIMA RESENHA PUBLICADA | TODAS | PRÓXIMA RESENHA >

LEIA MAIS

Em busca do sentido perdido dos vocábulos,  por Ronaldo Cagiano.
Verdadeiro escafandrista do idioma, o professor, escritor, crítico e ensaísta Deonísio da Silva acaba de dar mais uma contribuição ao conhecimento de nossa tão aviltada língua portuguesa, ao mergulhar na intimidade das palavras.  Leia mais
Drama anarquista começa em casa,  por Miguel Sanches Neto.
A Colônia Cecília foi a primeira e mais importante experiência comunitária fundada por imigrantes anarquistas italianos no Brasil, em 1890. Ideologicamente superada antes de sua fundação, economicamente desastrosa, ela também simbolizou uma experiência libertária, um mito romântico que provocou a imaginação de vários autores.  Leia mais

Faça uma pesquisa no sítio

Utilizando-se uma palavra no formulário, pesquisa-se conteúdo no Sítio VerdesTrigos.

Ir ao início da página